Piabanha que eu quero ver!

Piabanha que eu quero ver!

57 57 people viewed this event.

Esse evento reunirá pessoas de diversas faixas etárias e profissões. O foco será a soltura de juvenis, acima de 20 centímetros, em um trecho de rio livre de barragem hidrelétrica, no Rio Pomba,  em frente a Praça Monsenhor Diniz, município de Santo Antônio de Pádua, Rio de Janeiro. Esse trecho de rio ainda possui áreas de reprodução em sinergia com as áreas berçários. Vale ressaltar que os peixes são originários do maior banco genético vivo de espécies de peixes ameaçados de extinção da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul.

Sobre a espécie Brycon insignis (Piabanha):

Distribuição Geográfica: Bacias hidrográficas dos rios Paraíba do Sul, Itabapoana, São João e Imbé.

Hábitos Alimentares: Na fase juvenil a piabanha é ictiófaga e insetívora (alimenta-se de peixes e insetos) e eventualmente frugívora (frutas e sementes). Quando adulta, a espécie come frutos, sementes, insetos e pequenos peixes.

Hábitos reprodutivos: No período de reprodução da espécie, que equivale ao período das cheias, a piabanha faz a piracema, que consiste em subir os rios para estimular a desova rio acima. O ciclo reprodutivo inicia-se no mês de novembro e termina no mês de fevereiro. A fecundação dos óvulos da piabanha ocorre  quando as fêmeas os liberam na água. A espécie desova uma única vez ao ano. Nesse ritual de

acasalamento, os machos nadam paralelamente às fêmeas e liberam seus espermatozoides, fecundando grande parte dos óvulos. Após esse ritual, a incubação é realizada nas águas calmas das lagoas marginais e outras áreas de remanso, que formam magníficos berçários naturais, onde os alevinos (filhotes) encontram

alimento e refúgio. Somente após o período de desenvolvimento inicial e, com tamanhos maiores, estarão aptos para viver nas áreas de alimentação com seus pais, na calha principal dos rios. O macho da piabanha torna-se capaz de reproduzir a partir do segundo ano de vida, quando alcança cerca de 20 cm de comprimento. Na fêmea a reprodução só começa a partir do terceiro ano de idade, quando alcança entre

30 e 40 cm de comprimento.

Os peixes sairão do Banco Genético, localizado no município de Itaocara – Rio de Janeiro e seguirá em caixas apropriadas para o local da soltura, em Santo Antônio de Pádua. Lá serão temporariamente armazenados em uma piscina de 5.000 litros de água de forma que a comunidade possa vir a conhecer a espécie. Feito isso serão soltas no rio Pomba. Vale ressaltar que o Projeto Piabanha possui a licença para soltura de espécies nativas.

Em paralelo levaremos um grande aquário, para também,   demonstrar a beleza da espécie. Como complemento teremos atividades de arte manual e pinturas faciais, sempre utilizando o formato do peixe.

O evento ocorrerá no dia 8 de junho e se iniciará as 9 horas da manhã. Maiores informações ligar para:

55 021 22 98112-5090     Guilherme Souza

———————————————————————————————————————-

Piabanha that I want to see!

This event will bring together people from different age groups and professions. The focus will be on releasing juveniles, over 20 centimeters long, in a stretch of river free of hydroelectric dams, on the Pomba River, in front of Monsenhor Diniz Square, in the municipality of Santo Antônio de Pádua, Rio de Janeiro. This stretch of river still has breeding areas in synergy with the nursery areas. It is worth mentioning that the fish come from the largest living genetic bank of endangered fish species in the Paraíba do Sul River Basin.
About the species Brycon insignis (Piabanha):
Geographic distribution: Paraíba do Sul, Itabapoana, São João and Imbé river basins.

Reproductive habits: During the species’ reproductive period, which is equivalent to the flood period, the piabanha performs the piracema, which consists of ascending rivers to stimulate spawning upstream. The reproductive cycle begins in November and ends in February. The piabanha’s eggs fertilize when the females release them into the water. The species spawns only once a year. In this
males swim parallel to the females and release their sperm, fertilizing most of the eggs. After this ritual, incubation takes place in the calm waters of marginal lagoons and other backwater areas, which form magnificent natural nurseries where the fry find food and refuge.
and refuge. Only after the initial development period, and when they are larger, will they be able to live in the feeding areas with their parents, in the main channel of the rivers. The male piabanha becomes capable of reproducing from the second year of life, when it reaches around 20 cm in length. In the female, reproduction only begins from the third year of age, when it reaches between
30 to 40 cm in length.

The fish will leave the Genetic Bank, located in the municipality of Itaocara – Rio de Janeiro, and will be transported in appropriate boxes to the release site in Santo Antônio de Pádua. There they will be temporarily stored in a pool of 5,000 liters of water so that the community can get to know the species. They will then be released into the Pomba River. It’s worth noting that the Piabanha Project has a license to release native species.
At the same time, we will bring a large aquarium to demonstrate the beauty of the species. As a complement, we will have handicraft activities and face painting, always using the shape of the fish.

The event will take place on June 8 and will start at 9 am. For more information call
55 021 22 98112-5090 Guilherme Souza

Additional Details

Name of contact person - Guilherme Souza

Country - Brazil

To register for this event email your details to guilherme@projetopiabanha.org.br

Register using webmail: Gmail / AOL / Yahoo / Outlook

 

Date And Time

2024-06-08 @ 08:00 (GMT) to
2024-06-08
 

Registration End Date

2024-06-08
 

Event Types

Share With Friends